“O que vos mando…”

À medida que o Tempo Pascal caminha para o fim, o processo de “recuperação” dos discípulos também. Já não há dúvidas e reina a alegria e a unidade no grupo. Jesus aproveita, porém, os encontros dos últimos domingos, para reforçar, em jeito de testamento, o núcleo do discurso feito na Ceia de quinta-feira santa: “Que vos ameis uns aos outros como Eu vos amei”.
Não basta, pois, amar. Abstracções são ilusões. Também não basta amar os do nosso círculo, que simpatizam e dizem bem de nós…
Ao lembrar o que faz a diferença cristã, Jesus eleva a fasquia ao máximo, e declara, sem hesitações, que a medida do amor é amar a todos sem medida. Como Ele.
Apesar de difícil, esta exigência é o que distingue o verdadeiro discípulo: “O que vos mando é que vos ameis uns aos outros”.
Num tempo em que o “amor” anda na boca de toda a gente e se reveste de tantos conteúdos, as palavras de Jesus podem parecer duras, desadequadas e fora de moda, mas são as únicas cuja observância nos dignifica e torna felizes.

P. Fausto
in Diálogo nº. 1734 (VI Domingo da Páscoa – Ano B)

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *