Permanecei em Mim…

Ultrapassadas as dúvidas sobre a Ressurreição, o discurso de Jesus parece centrar-se nas condições indispensáveis para o cumprimento da missão reservada aos apóstolos. É neste contexto que sinto as palavras do Evangelho deste 5° Domingo do Tempo Pascal: “Eu sou a verdadeira vide e meu Pai é o agricultor. Ele corta todo o ramo que está em Mim e não dá fruto e limpa todo aquele que dá fruto… para que dê ainda mais fruto”.
Jesus, como sempre, não diz coisas complicadas, e nada melhor, hoje, que um passeio ao campo, para entender a Sua mensagem.
Certamente que há vinhas abandonadas, desordenadas, sufocadas por ervas, com muitos ramos e pouca esperança de fruto. Na verdade, a videira não podada alonga-se em ramos cada vez mais esguios e enredados, com fruto reduzido e amargo, e morre precocemente. As vinhas podadas e tratadas, pelo contrário, apresentam-se viçosas, ordenadas, com fruto abundante e vida saudável. Todo o lavrador sabe isto. E sabe que podar não é cortar a eito e sem jeito, mas é preciso cortar para orientar, ordenar… para mais saúde e melhor fruto.
E os discípulos agradeceram o passeio ao campo e acolheram a advertência solene que Jesus lhes fez: “Como o ramo não pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira, assim também vós, se não permanecerdes em Mim”.
O apelo à Comunhão de uns com os outros e de todos com Jesus é e será sempre actual.

P. Fausto

in Diálogo nº. 1733 (V Domingo da Páscoa – Ano B)

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *