SEMANA DOS SEMINÁRIOS

1 – 8 Novembro 2020

banner_Cartaz_semana_oracao_seminarios_2020_divulgacao_small

 

“A Igreja dedica a semana de 1 a 8 de novembro à oração pelos Seminários. Este ano “tem como fonte de inspiração a palavra do Evangelho: “Jesus chamou os que queria e foram ter com Ele” (Mc. 3,13). Ela apresenta de modo sintético os elementos estruturantes da vocação: o chamamento do Senhor e a resposta dos discípulos, confirmada pela decisão de ir ter com Ele.”

D. António Augusto de Oliveira Azevedo, Presidente da Comissão Episcopal das Vocações e Ministérios, na Mensagem para a Semana dos Seminários.

 

 

seminario_cor

Testemunho do Rafael Oliveira, seminarista do 3º ano:
A minha história de Fé é semelhante à de muitos outros da minha idade: andei na catequese desde pequeno, fui aprendendo a rezar e habituei-me a ir à missa em família, ao Domingo. Mais tarde, comecei a ir às reuniões do grupo de jovens da minha paróquia, em Ílhavo, e a participar nas atividades da diocese de Aveiro: encontros no Dia Mundial da Juventude, peregrinações, noites de oração…
Ir à Igreja era para mim tão natural como ir aos treinos do futebol ou ir à escola. Era uma coisa entre muitas outras. Mas à medida que fui crescendo, deixei também que a fé ganhasse outro espaço na minha vida. O que ouvia durante a missa nas leituras da Palavra de Deus e nas homilias fazia sentido para mim. O que compreendia da vida de Jesus e das palavras d’Ele era o que eu queria para mim. Se isto fosse mesmo assim – pensava eu – a vida era incrível. Se todos vivêssemos isto!
Então, comecei a sentir uma grande diferença na minha vida. Por um lado, vivia a experiência da alegria imensa, de uma felicidade verdadeira quando ia às atividades do grupo de jovens, e via que viver como Jesus ensinava e viver esta relação pessoal com Deus enchia a minha vida de sentido. Por outro, tinha os receios normais daquela idade – o que vou estudar, o que quero fazer da vida, como será o futuro? E isto da fé, é mesmo a sério? O que tem isto tudo a ver comigo? A felicidade que experimentava nas “coisas da Igreja” contrastava, por vezes, com o meu dia-a-dia.
Quando estava no ensino secundário, vivi uma experiência que me marcou profundamente: o meu professor de Educação Moral e Religiosa Católica desafiou-me para fazer uma viagem a Taizé, uma comunidade religiosa em França. Eu aceitei o desafio e fui – como muitos outros jovens da diocese. E aí, nos grupos de partilha e reflexão, nas orações comunitárias, nos jogos, nos encontros com os e outros e no silêncio sentia-me em paz; verdadeiramente feliz. Percebi que a fé cristã não era uma coisa só para alguns momentos especiais. O que vivi ali em Taizé – a alegria, a simplicidade, a misericórdia e o encontro com Deus – eu podia viver todos os dias e mais ainda, eu podia dar aos outros. E nesse momento, deixei entrar em mim uma pergunta – se ser padre é viver isto todos os dias e levar isto aos outros… e se fosse eu?
Então ouvi a voz do Senhor que dizia: “Quem enviarei? Quem será o nosso mensageiro?” Então eu disse: “Eis-me aqui, envia-me!” (Is 7, 8)

 

 

……DEPOIS DE MEDITAR

O que é o Seminário? O seminário é uma casa dedicada à formação de seus candidatos a sacerdotes, preparam os futuros padres. Os estudantes são os “seminaristas” e recebem preparação cultural e Teológica, bem como filosófica, e espiritual. O fim específico do tempo de seminário é proporcionar àqueles que desejam um maior discernimento da sua vocação, a possibilidade de um acompanhamento para seguir Jesus. É função do Seminário propor o presbiterado como ideal de vida e chamamento, ajudando a alcançar uma resposta na fé, com maturidade humana e espiritual suficiente para que seja dada com sentido de responsabilidade e chamamento.

 

Quantos seminaristas tem a Diocese? Neste momento a Diocese de Aveiro tem 3 seminaristas no Seminário Maior que estudam em Lisboa (o João Rendeiro e o Guilherme Reis no Tempo Propedêutico e o Rafael Oliveira no 3º ano).

 

Para que servem os padres? “Os fiéis esperam somente uma coisa dos sacerdotes: que sejam especialistas na promoção do encontro entre o homem e Deus. Ao sacerdote não se pede para ser perito em economia, construção ou política. Pede-se que ele seja um especialista na vida espiritual.” Papa Bento XVI

 

Como se formam os Padres? A formação de um sacerdote consistem num Tempo Propedêutico de aprofundamento humano, cristão e espiritual; cinco anos académicos dos estudos de Teologia (dois anos de Filosofia e 3 de Teologia); um ano pastoral, vivido com disciplinas complementares ao curso de Teologia e o sétimo ano de Estágio Pastoral, enquanto diáconos, já inseridos em paróquias da nossa Diocese, até à ordenação sacerdotal.

 

 

Prece pelos Seminários: Rezemos ao Senhor da Messe por todos os Seminários, equipas formadoras e seminaristas para que o Senhor os fortaleça e os anime no desempenho das funções e ponham toda a sua confiança no Senhor.

 

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *