“Abençoou-os”

Ascensao_C

 

O encontro de Jesus com os Seus parece ter sido hoje mais breve, mas sempre intenso. Depois de lhes lembrar em poucas palavras o que na Escritura se referia ao Messias, convidou-os a um passeio até Betânia. O ambiente era descontraído e não previa o desfecho que Jesus vinha preparando cuidadosamente.
Já perto de Betânia, “erguendo as mãos, abençoou-os. Enquanto os abençoava, afastou-se deles e foi elevado ao Céu”.
O que, em circunstâncias normais, provocaria desconforto e tristeza, encheu de alegria o coração de todos, porque entenderam finalmente que o afastamento físico de Jesus não é sinal de abandono, mas forma de presença diferente, nem o Céu refúgio e descanso para férias, mesmo que entre núvens.
“E, erguendo as mãos abençoou-os“. É o último gesto de Jesus na terra e a Sua última palavra aos seus. Sem lamentos, condenações, ressentimentos…Apenas uma Bênção e o sorriso de missão cumprida, pleno de confiança, de quem diz “até amanhã” e nos vai preparar um lugar…
Agora o tempo é nosso. Cabe-nos continuar a Missão.

P. Fausto

in Diálogo nº 1659 (Solenidade da Ascensão do Senhor – Ano C)

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *