Desafios da Quaresma …

1dq_C

 

Entrámos na Quaresma e, como sempre, é-nos proposto o Evangelho das tentações de Jesus, no deserto, como Palavra iluminadora e provocadora para vivermos, como diz S. Paulo, este “tempo favorável”.
Vivemos imersos numa cultura que não preza o silêncio, numa cultura do imediato e do eficiente, sempre à procura de resultados, em que se confunde tantas vezes eficácia com actividade febril e se tem cada vez menos tempo para Deus, para os outros e para nós mesmos.
Face a esta cultura, precisamos de silêncio que dê tempo às pessoas para crescerem e amadurecerem… Tempo para saborearmos o tempo tão fugidio da nossa existência.
O que se diz, porém, do nosso “corre corre” diário, também o podemos dizer da nossa vida religiosa a todos os níveis, paroquial e diocesano. Tantos cursos, reuniões, caminhadas, estratégias… que não ajudam à comunhão e promovem a dispersão. Também Isto é ruído, que importa evitar.
Que o Senhor nos dê a Graça de vivermos a Quaresma, com redobrada atenção à escuta de Deus e nos faça descobrir o segredo de Jesus para vencermos, como Ele, todas as tentações, mesmo as mais graves e subtis da nossa natureza humana.

P. Fausto

in Diálogo 1647 (I Domingo da Quaresma – Ano C)

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *