Uma pergunta obrigatória !

 

 

joaobaptista

Este ano interrompemos o curso dos Domingos do Tempo Comum para celebrarmos o Nascimento do filho de Isabel e Zacarias, juntando as nossas às razões de contentamento e alegria dos vizinhos e parentes, pela dádiva que Deus lhes concedera de um filho, apesar de avançados na idade.
O nome que Isabel escolhera, antes mesmo de ser consultado o marido, ao arrepio da tradição e costumes familiares, João, quer mesmo dizer “Dom de Deus”. E não seria apenas a circunstância de idade dos seus progenitores a motivar a pequena aldeia à alegria e à festa, pois todos se interrogavam “Quem virá a ser este menino?” Anos mais tarde é Jesus quem responde: “o maior entre os filhos de mulher”.
A pergunta que toda a gente fazia mais ou menos explicitamente àcerca do pequenino João dever-se-ia fazer sempre diante de qualquer berço e cuja resposta não depende apenas dos pais, porque um filho, sendo sempre um Dom para a família, é-o também para a sociedade.
Numa sociedade em que animais já disputam a atenção e a centralidade no agregado familiar e em que os seus direitos falam cada vez mais alto, é imperioso que se defenda a dignidade da vida humana, se reclame cada vez mais tempo, espaço e ternura para os filhos e se criem condições que tornem cada ser humano verdadeiramente um Dom único e irrepetível.

P. Fausto

in Diálogo 1615 (Solenidade do Nascimento de S. João Baptista – Ano B)

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *