Dois dedos de Liturgia (39)

Advento 2010

 

– O Advento

O Ano Litúrgico é o conjunto de festas e períodos, caracterizados pela memória de determinados acontecimentos da vida de Cristo – da Encarnação à Ascensão – aos quais são unidas as comemorações de Nossa Senhora e dos Santos, sendo por isso um tempo simbólico, um tempo-sinal sagrado ou de salvação que percorre, na totalidade, o ciclo das estações, dos meses e dos dias do ano solar ou astronómico. Na liturgia não se celebra o aniversário dos acontecimentos da vida de Cristo, mas sim a sua presença misteriosa através dos séculos, sempre centrados na Páscoa que é a fonte e razão de todo o Ano Litúrgico.
Na cadência deste ritmo, entramos agora num novo Ano Litúrgico – o Ano B – e no Tempo Litúrgico do Advento, no tempo de preparação para as Solenidades do Natal, nas quais é comemorada a primeira vinda de Cristo à humanidade e que, simultaneamente, é o tempo no qual o coração e a mente se voltam, em bondosa e alegre expectativa, para a segunda vinda de Cristo (parusía), no fim dos tempos (Normas Universais sobre o Ano Litúrgico (NUAL) n.º 39).
O Tempo do Advento terá nascido nos finais do séc. IV, entre a Gália e a Espanha, onde já existia um tempo preparativo do Natal, de carácter ascético. Na Gália, por volta do ano 360, Santo Hilário, Bispo de Poitiers, referia-se a um período de preparação para a Epifania, com início no dia 17 de Dezembro e termo no dia 6 de Janeiro. Em Espanha, no ano 380, o Concilio de Saragoça determinava: “ninguém deve faltar à igreja nas três semanas que precedem a Epifania”. Como instituição litúrgica, o Tempo do Advento só se formou nos finais do século VI e consistia então em seis semanas de preparação para o Natal, tal como ainda hoje acontece no Advento da liturgia ambrosiana celebrada na Arquidiocese de Milão. Foi São Gregório Magno (590-604) que o reduziu a quatro semanas, duração que ainda mantém.
No rito romano, que é aquele que nós celebramos, o Tempo do Advento começa com as I Vésperas do domingo mais próximo do dia 30 de Novembro e termina antes das I Vésperas do Natal (NUAL, n.º 40). Dada a variação da data do seu início, que pode ir de 27 de Novembro até 3 de Dezembro, este tempo litúrgico não tem extensão uniforme. A sua duração máxima é de 28 dias (4 semanas completas) e a duração mínima de 22 dias (4 semanas incompletas).
O Advento nasceu para introduzir os fiéis no mistério da Encarnação, mistério que faz nascer Deus para o homem e conduz o homem para Deus.

* continuamos a aguardar as vossas questões em doisdedosdeliturgia@gmail.com

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *